Jornal Simpatia de Caçapava e Região

Rua José Germano, 430 - Residencial Esperança, Caçapava - SP. CEP: 12.285-460

Caçapava também já foi degradada

O rompimento de três barragens da empresa Vale S. A., uma das maiores mineradoras do mundo, somente coloca em evidência que o Brasil é a terra da impunidade, da exploração desmensurada e do dane-se o meio ambiente e as pessoas do entorno.

Se ninguém for preso tanto melhor, já que os sistemas de fiscalização são desaparelhados, desestruturados e sem a menor infraestrutura. Vivemos em pleno século XXI sem tecnologia, as barragens poderiam ser monitoradas por drones, satélites e sensores, mas, o que prevalece, como sempre, é o gogó dos empresários e dos políticos ordinários que tiram proveito dessa situação.

Alguns acadêmicos e outros tantos estudiosos discutem a necessidade de um novo Código Comercial para tratar das relações de negócios e conferir ao mercado da mineração mais dinamismo, porém e tomados por empresários gananciosos e políticos corruptos a exploração da mineração no Brasil não é calcada em condutas éticas e muito menos moral, assim como, o desprezo pelo meio ambiente é absoluto.

O Brasil é um país de tantas e repetidas catástrofes e o final é sempre o mesmo, desvio e roubo das verbas liberadas para as vítimas.

Três anos atrás o acidente de Mariana chocou o mundo, o Governo Federal liberou milhões de reais e posou de herói, nada foi feito e tudo desviado pelo caminho, nada chegou até as vítimas. Nenhuma lei foi feita, que pudesse intimidar e forçar as mineradoras a melhorar a segurança e evitar tamanha devastação. Depender de políticos da qualidade que temos hoje é um risco para todos brasileiros.

Precisamos mudar o código de mineração, a forma de exploração, de fiscalização. Monitorar todas barragens 24 horas por dia, fechar todas as barragens que estão em risco, punir com muito rigor todos os responsáveis pelas tragédias brasileiras e principalmente: trocar, expurgar e mandar a “merda” políticos omissos e mau-caráter, que tanto colaboram com a destruição do Brasil.

Aqui em Caçapava, políticos indesejáveis já tentaram impor aos caçapavenses a exploração de minerais. E como todos se lembram era tudo do interesse de um acarretador de areias que foi, junto com sua esposa, condenado a 3 anos de cadeia e multado em R$ 37,3 milhões por destruir uma floresta de preservação permanente no bairro Tataúba, zona rural da cidade. Os Condenados puderam recorrer em liberdade, segundo jornal O Vale.

Esse caso nos faz lembrar, que ficar de olho na vereadora Preta da rádio (PSC) é necessário, graças a frouxidão da maioria dos vereadores, ela é a presidente da Câmara e assim sendo, temos o dedo com pouca assepsia de Cesar Nascimento enfiado na Casa de Leis. E foi da união Preta e Cesar Nascimento que saiu o projeto de lei de mineração em Caçapava. Vale lembrar, que este projeto era do interesse de Adilson Franciscate, um dos condenados mencionados acima e grande amigo de Nascimento.

Repetindo parte de um texto meu, publicado a algum tempo atrás, lembro: Toda vez que Caçapava entrou no jogo barulhento de pulhas em nome de mais empregos e mais impostos a cidade se deu mal. Exemplos: Faé, Tonolli, Aerovale e Extratoras de Areia, todas fechadas pela justiça por contaminação e destruição do meio ambiente graças a políticos irresponsáveis e empresários gananciosos. Vale dizer, que os funcionários dessas empresas ficaram desempregados e impostos deixaram de ser recolhidos. Como sempre sobrou devastação!

Texto: Clóvis Cunha


Categoria: Caçapava | Publicado ás: 31/01/2019 22:21:53

Comentários